BOLETIM AGRO: Chuva ajuda produção de soja em RR e colheita deve ser maior que em 2018
07/08/2019 11:52 em BOLETIM AGRO

Especialista fala também sobre a estabilidade no preço do açúcar e do etanol

 

 

Olá, eu sou o Raphael Costa e esta é mais uma edição do Boletim Agro. Na edição de hoje, trazemos alguns destaques do agronegócio.

A chuva em Roraima pode ser um diferencial na produção de soja deste ano. Segundo entidades que observam a produção da cultura no estado, a previsão é de que a produtividade na safra seja maior que a do ano passado. Quem vai comentar sobre esse salto na produtividade, além de abordar outras questões, é a jornalista Carla Mendes, do Notícias Agrícolas. Seja bem-vinda, Carla.

“A produtividade média esperada é de 50 sacas por hectare, o que é realmente maior que a do ano anterior justamente porque as chuvas foram melhor distribuídas e mais regulares. A colheita em Roraima deve começar até o dia 20 de agosto e se estender até o final do mês seguinte. Essa produtividade média melhor, aliada aos preços de venda atuais, devem garantir um bom rendimento aos produtores do estado.”

No Sul do país, nos últimos dois meses, a diferença de preços entre o trigo produzido no Rio Grande do Sul e no Paraná diminuiu. Qual o motivo dessa queda e o que ela representa, Carla?

“Isso mostra que as dificuldades nas novas negociações no mercado de trigo são um reflexo dessa baixa nos preços. Então, temos um recuo nas diferenças, mas ainda não são os melhores, o que mantém as negociações mais travadas. Em contrapartida, o produtor segurar um pouco mais o seu produto faz com que os preços encontrem alguma sustentação, algum suporte. Nós começamos a observar uma diferença menor entre o trigo produzido no PR e no RS, justamente por conta da disponibilidade de oferta e ritmo de negociação em cada estado.”

Vamos falar agora sobre os derivados da cana. Dados do Cepea apresentam estabilidade no preço para a saca de 60 quilos do açúcar cristal. Qual o motivo disso e como está a situação do produto no mercado, Carla?

“Nessa safra sucroalcooleira, nós vimos um mix maior de etanol em detrimento do açúcar. Com isso, temos uma menor oferta do produto no mercado e isso dá sustentação para os preços. Então, de 29 de julho a 2 de agosto, nós vimos uma ligeira alta de 0,35% em relação à semana anterior, e a saca de açúcar, portanto, chegou a R$ 58,51, quando se trata de uma saca de 50 quilos.

Outro produto que manteve a estabilidade foi o etanol. Pela quinta semana seguida, o preço do combustível não sofreu queda ou aumento nos preços. O que explica isso, Carla?

“Com uma oferta maior e uma demanda por etanol aquecida por parte dos compradores nos últimos dias, esse equilíbrio acaba mantendo as cotações estáveis e sem grandes variações. No mesmo período observado para o etanol com relação ao açúcar, de 29 de julho a 2 de agosto, o indicador Cepea mostrou uma média de R$ 1,72 por litro de etanol hidratado, o que traz uma alta de 1,52% em relação à semana anterior.”

Obrigado pelos esclarecimentos, Carla. Quem quiser saber mais novidades do agronegócio é só acessar o Notícias Agrícolas, certo?

“É isso mesmo. noticiasagricolas.com.br para ser o produtor rural mais bem informado do Brasil."

 

Fonte:

Agência do Rádio  

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!